I+D+i

Ciente da importância da pesquisa e desenvolvimento de novas soluções, em 2006, Ingeniería Avícola criou seu próprio departamento de I+D+i em que uma equipe de técnicos especializados trabalham todos os dias, oferecendo a nossos clientes soluções inovadoras que agreguem valor aos seus negócios.

A geração de subprodutos animais preocupa muito as autoridades e traduz-se em legislação cada vez mais restritiva que incentiva a gestão de subprodutos por gestores externos.

Por conseguinte, parece mais adequado considera a valorização desses subprodutos e olha para este cenário em termos de oportunidade de negócio.

Desde 2006, há vários projetos que desenvolvemos, principalmente relacionados com a valorização de subprodutos animais provenientes de explorações de aves de capoeira:

 

Temos desenvolvido e patenteado um TRATAMENTO DE OVO NÃO APTO PARA O CONSUMO HUMANO. Trata-se de valorizar um subproduto das plantas de incubação. Através deste sistema os ovos líquidos impróprios para consumo humano torna-se em ovo desidratado  de muito fácil manejo. Seu uso como alimentação animal agrega valor ao nosso cliente.

 

Especial importância é a nossa pesquisa na área de TRATAMENTO DE ESTRUME. Após vários anos de pesquisa, conseguimos obter cinzas da combustão de estrume dentro dos níveis de emissão de regulamentários. A cinza obtida é mais facilmente manejável que o estrume, e comparado com os fertilizantes inorgânicos comerciais, traz uma maior quantidade de potássio, fósforo, ferro, como cálcio e magnésio. Da mesma forma, as cinzas obtidas podem incorporar-se a novos processos produtivos, agregando valor ao nosso cliente.

SECAGEM DE CASCA

 

Outro subproduto animal das plantas de incubação é a casca. Através do processo de SECAGEM DE CASCA que nós desenvolvemos, obtemos dois tipos de produto:

  • Casca seca,para a alimentação animal e fertilizante.
  • Casca sem matéria orgânica, destinada à incorporação em outros processos de produção que necessitam de carbonato de cálcio de alta pureza sem matéria orgânica.